Em todo o mundo, despeja-se o equivalente a um caminhão de lixo por minuto nos oceanos; entenda os impactos

Em um recente do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Breaking the Plastic Wave, estima-se que, atualmente, 11 milhões de toneladas de plástico são despejados nos oceanos anualmente, o equivalente a um caminhão de lixo por minuto.

Essa quantidade assustadora de resíduos chegando às águas marinhas acarretará em consequências cada vez mais graves ao planeta, se nada for feito o quanto antes. 

Não à toa, se as políticas atuais se mantiverem e nada for feito, espera-se que o plástico despejado nos oceanos deverá quase triplicar e a quantidade de plástico nos oceanos poderá vir mesmo a quadruplicar até 2040.

Como resultado, para muitos biólogos, estudiosos e especialistas, é possível que tenhamos mais lixo plástico que peixes nos oceanos em até duas décadas, sobretudo pelo aumento de plástico nas águas marinhas e pela pesca predatória, que remove milhares de toneladas de peixes sem qualquer responsabilidade ambiental. 

GEOTA alerta para a importância da mudanças de hábitos

O Grupo de Estudos de Ordenamento do Território (GEOTA) apela para que haja uma mudança dos hábitos de consumo e de novas políticas que alterem a economia do plástico.

Entre as medidas recomendadas, proibir sacos de plástico, apanhar lixo nas praias, reciclar, ou comprar uma garrafa de vidro estão entre algumas sugestões importantes, ainda que não sejam suficientes para conter a poluição dos oceanos. 

Na verdade, o que é preciso é investir na redução dos resíduos plásticos por meio de políticas sistêmicas, não ações pontuais. Existe, hoje, uma necessidade de reduzirmos os resíduos plásticos o quanto antes, a fim de evitar o colapso dos oceanos, de acordo com o  Presidente do GEOTA, João Dias Coelho.

O problema dos plásticos nos oceanos

O plástico é um material que demora até 400 anos para ser decomposto na natureza. Logo, o resíduo plástico despejado nos oceanos ao longo das últimas décadas permanece em alto mar, contaminando e poluindo os mais diversos ecossistemas. 

Esse é um problema grave. Afinal, os atuais compromissos dos governos e da indústria reduzirão apenas a quantidade de plástico despejado no oceano em 7%, até 2040. 

Então, o plástico que permanece no oceano, que, claro, não é biodegradável, está acumulado, podendo atingir as 600 milhões de toneladas, até 2040 –  o equivalente a mais de 3 milhões de baleias azuis.

Como você deve imaginar, o plástico é um material leve. Portanto, para chegar aos 600 milhões de toneladas, é preciso uma quantidade assustadora desse tipo de material. 

Praticamente, essa quantidade de plástico compromete toda a biodiversidade marinha e os oceanos como um todo, podendo gerar uma crise ambiental jamais vista. 

Em suma, devemos o quanto antes investir em hábitos mais responsáveis, que preservem os oceanos e sua rica biodiversidade. Somente dessa maneira poderemos cuidar do planeta. 

Gostou do artigo? Então, acompanhe o blog da Máfia do Mergulho para se informar sobre os últimos acontecimentos e notícias sobre os oceanos. Até a próxima!

.

What's your reaction?
0Cool0Bad0Lol0Sad

Leave a comment

Bloomin
Bloomin