O plástico encontrado na barriga de tartarugas filhotes evidencia que o problema do plástico nos oceanos está chegando a níveis mais preocupantes do que nunca

Que os resíduos plásticos são um dos grandes vilões dos oceanos, isso todos nós já sabemos. Entretanto, após ser encontrado plástico dentro de tartarugas filhotes na Austrália, temos uma clara evidência de que o plástico pode afetar o oceano e a sua biodiversidade marinha mais do que pensávamos. 

Pedaços de polietileno e polipropileno foram achados no estômago, intestino, cloaca e bexiga dos animais, no caso, 121 tartarugas jovens e recém-nascidas na costa australiana dos oceanos Pacífico e Índico

Especialistas alertam que o material poluente se tornou um grande problema,  sendo considerado uma armadilha para os animais com conchas de até 50 centímetros. Os detalhes e resultados das análises e pesquisas foram publicados no jornal Frontiers in Marine Science. 

Entenda mais sobre o plástico nas tartarugas

O plástico foi encontrado no estômago, intestino, cloaca e bexiga de cinco espécies analisadas, entre elas a tartaruga-verde (Chelonia mydas), tartaruga-marinha-comum (Caretta caretta), tartaruga-oliva (Lepidochelys olivacea), tartaruga-de-pente (Eretmochelys imbricata) e tartaruga-marinha-australiana (Natator depressus).

Plástico é encontrado dentro de tartarugas filhotes na Austrália
Tartarugas morrem ao ingerir pedaços de plástico

A quantidade de resíduo plástico ingerido variou de acordo com cada espécie, sendo que o maior consumo ocorreu em tartarugas-verdes, que engoliram 343 peças de plástico no Oceano Índico e 144 unidades do polímero no Oceano Pacífico. 

Entre as cinco espécies analisadas, somente a tartaruga-de-pente não absorveu resíduo plástico, independentemente do oceano.

No que se refere à poluição dos oceanos, a região do Índico teve uma proporção de tartarugas analisadas que ingeriram plástico menor do que no Pacífico. 

De acordo com o estudo, foram encontrados lixo plástico em 83% das tartarugas-verdes analisadas, 86% nas tartarugas-comuns e 80% nas tartarugas-marinha-australianas. 

Em contrapartida, no Oceano Índico, as espécies mais atingidas pelo problema foram as tartarugas-marinha-australianas (28%), seguidas pelas tartarugas-marinhas-comuns (21%) e pelas tartarugas-verdes (9%).

Quanto ao resíduo encontrado nos animais, o tipo de plástico variava conforme a região. Isso porque o plástico nas tartarugas do Pacífico era composto principalmente de fragmentos duros, cuja origem está atrelada a produtos que foram usados por humanos. 

Os plásticos do Oceano Índico, por sua vez, eram principalmente fibras – possivelmente de cordas ou redes de pesca -, de acordo com pesquisadores da Universidade de Exeter, na Inglaterra.

Plásticos nos oceanos: um problema sem fim

Agora que conhece mais sobre o problema do plástico e como ele afeta a biodiversidade marinha, nesse caso, as tartarugas, é muito importante cobrarmos ações firmes voltadas à preservação do meio ambiente, mais especificamente os oceanos. 

Além disso, é vital fazermos nossa parte, diminuindo o consumo de plástico e, descartando-o da maneira mais adequada possível.

Gostou do artigo? Então, acompanhe o blog da Máfia para ler mais conteúdo como este. Até a próxima!

What's your reaction?
0Cool0Bad0Lol0Sad

Leave a comment

Bloomin
Bloomin