Entenda o que é acidificação dos oceanos e seus impactos

Os oceanos, por conta das ações humanas, principalmente, estão passando por inúmeras mudanças. Esses fenômenos alteram as águas do mar e toda sua biodiversidade de diferentes maneiras. Hoje, falaremos a respeito de um dos problemas mais recorrentes e pouco citados: a acidificação dos oceanos. 

A acidificação dos oceanos é um problema que surge de forma gradativa. Ou seja, é um fenômeno que existe devido a hábitos insustentáveis mantidos por longos períodos. 

Estima-se que o processo de acidificação começou no início da Revolução Industrial, nos séculos XVIII e XIX, entre 1760 e 1840, devido ao aumento contínuo das emissões antropogênicas de CO2 na atmosfera. 

Afinal, o que é a acidificação dos oceanos?

Basicamente, podemos dizer que a acidificação dos oceanos consiste no processo em que a água dos oceanos torna-se mais ácida (redução do pH). Esse fenômeno é oriundo do aumento de emissões do gás carbônico (CO2) na atmosfera.

Mediante essa afirmação, uma pergunta pode vir à tona: como o CO2 na atmosfera deixa os oceanos mais ácidos?

A resposta é simples. Os oceanos têm a capacidade de absorver esse tipo de gás, sendo inclusive o principal responsável por amenizar os impactos do efeito estufa. Contudo, uma vez na água, o CO2 acaba passando por uma série de reações, de maneira a culminar no aumento da concentração de íons de hidrogênio na sua composição. Como resultado, observa-se a diminuição do pH da água, tornando-a, assim, mais ácida.

Portanto, ao mesmo tempo em que os oceanos absorvem o CO2 e diminuem os efeitos de sua emissão na atmosfera, infelizmente passam pelo processo de acidificação, que a cada dia prejudica mais o maior ecossistema do planeta. 

Impactos da acidificação dos oceanos

Os impactos da acidificação dos oceanos são diversos, afetando desde a fauna marinha até sua flora. 

Acidificação dos oceanos: o que é e seus impactos

Entre os seres-vivos mais afetados, podemos destacar os corais, por exemplo. 

Isso porque os corais, quando expostos a esse tipo de acidificação, podem não conseguir formar seus esqueletos. Logo, ao reduzir os carbonatos do ambiente, outros tipos de animais, como ostras e mexilhões, também são impedidos de calcificarem suas conchas.

Uma vez afetado os corais, poderemos observar impactos nos recifes onde estão, bem como na vida marinha que depende deles para sobreviverem, como peixes, aves, crustáceos, moluscos e muito mais.

Além disso, os humanos que dependem dos oceanos como fonte de renda também podem ser afetados, uma vez que a biodiversidade na qual dependem está sendo destruída. 

Por fim, algumas espécies de peixes, como o peixe-palhaço, estão perdendo sua capacidade de detectar predadores ou de encontrar abrigo.

Todos esses impactos, quando juntos, acabam causando um grande problema à vida marinha, gerando um grande risco a médio/longo prazo. 

Diminuir o CO2 antropogênico = diminuir a acidificação das águas dos oceanos

Tendo tudo o que foi dito em mente, torna-se mais fácil compreender porque é tão importante criar hábitos mais sustentáveis, de maneira a diminuir a emissão de gás carbônico antropogênico e preservar o meio ambiente e sua biodiversidade. 

Gostou do artigo? Então, acompanhe o blog da Máfia do Mergulho para mais novidades. 

What's your reaction?
0Cool0Bad0Lol0Sad

Leave a comment

Bloomin
Bloomin