Estudo publicado na Science Advances indica que aquecimento global irá afetar o planeta de forma desigual

O aquecimento global é um processo que se iniciou há décadas, mais especificamente ao longo da Revolução Industrial, por conta do aumento da emissão de gases causadores do efeito estufa, tal qual o conhecido dióxido de carbono, conhecido como CO2. Atualmente, porém, trata-se de um problema global, presente em diferentes pontos do planeta. 

Entre os maiores emissores de gases de efeito estufa, podemos destacar as regiões mais industrializadas como a Europa ocidental, o nordeste da América do Norte e alguns estados do Golfo Pérsico. 

Contudo, de acordo com estudo publicado no periódico científico Science Advances, as áreas do planeta que sofrerão mais com as consequências climáticas dessas emissões são o Ártico polar, a Ásia Central e a África. 

Isto é, regiões que não são responsáveis pela maior parte dos gases estufa despejados na atmosfera são as regiões que podem sofrer mais os efeitos desse problema. 

Entenda como se deu a pesquisa

Em um primeiro momento, a pesquisa mapeou um conjunto importante de dados dos quatro principais gases de efeito estufa antropogênicos emitidos entre 1970 e 2018: dióxido de carbono (CO2), metano (CH4), óxido nitroso (N2O) e carbono negro (constituído por partículas originárias da combustão incompleta de madeira, biomassa e combustíveis fósseis).

Aquecimento global irá afetar o planeta de forma desigual, indica mapa

Na segunda etapa, os locais de origem dessas emissões foram comparados às diversas projeções de aumento da temperatura global para a superfície da Terra ao longo de 2050–2099. 

Como resultado, o cálculo da equipe previu que regiões com taxas pequenas de emissão de poluentes (Alaska, Tajiquistão, Finlândia, Mali e Níger) serão as mais atingidas pelo aquecimento global

Esse fenômeno é explicado da seguinte maneira: quando queimamos combustíveis fósseis como carvão, petróleo e gás em determinado local, nós os misturamos na atmosfera de nosso planeta. Com isso, seus impactos de aquecimento são frequentemente exportados para locais mais distantes.

Porém, as regiões que mais soltam poluentes não estão a salvo, pois mudanças relativamente pequenas de temperatura são também estimadas para as áreas que mais emitiram gases de efeito estufa, incluindo países como Bélgica, Holanda, Alemanha e Kuwait.

Entenda como as regiões mais afetadas foram divididas

As regiões foram divididas em dois grupos, conforme o índice de disparidade climática global (LCDI), que utiliza uma escala de -3 e 6 pontos. 

O primeiro grupo é conhecido pelas regiões LCDI positivo (baixas emissões, grandes mudanças de temperatura). O outro grupo foi composto por regiões de LCDI negativo (altas emissões, pequenas mudanças de temperatura). 

Para termos ideia, a mediana da LCDI do Brasil aparece entre 0 e 2, o que significa que o país integra o primeiro grupo (baixas emissões, grandes mudanças de temperatura).

Aquecimento global: um problemas de todos

Em suma, tenha em mente que, embora as emissões sejam geograficamente concentradas, o aquecimento é globalmente generalizado e, portanto, afetará o planeta como um todo. 

Gostou do artigo sobre como o aquecimento global irá afetar o planeta de forma desigual? Então, siga acompanhando o blog da Máfia do Mergulho para ler mais conteúdo como este. Até a próxima!

What's your reaction?
0Cool0Bad0Lol0Sad

Leave a comment

Bloomin
Bloomin