Como é possível existir vida no fundo dos oceanos?

Os oceanos são ecossistemas gigantescos que cobrem a maior parte da superfície do planeta. Mesmo estando relativamente perto de nós, exploramos somente 10% das águas marinhas –  não é à toa que dizem que conhecemos mais a lua que os oceanos. As regiões inexploradas estão, majoritariamente, no fundo dos oceanos. 

A exploração do fundo dos oceanos é extremamente difícil devido a pressão e condições de visibilidade, que são bem ruins. Todos esses fatores tornam as profundezas marinhas um local bastante inóspito. Contudo, saiba que há vida nele, o que nos leva à pergunta deste conteúdo: como é possível existir vida no fundo dos oceanos?

Essa é uma pergunta muito comum e extremamente pertinente, uma vez que encontrar vida nas condições impostas pelo fundo dos oceanos é realmente algo de chamar a atenção e levantar questionamentos.

Pensando nisso, ao longo deste artigo falaremos mais sobre o fundo dos oceanos e como é possível existir vida nele. 

Conheça mais sobre o fundo dos oceanos

O ecossistema marinho é conhecido por ter muitas camadas, entre as quais está o fundo dos oceanos. 

Nasa está explorando as profundezas dos oceanos; entenda o porquê

As profundezas das águas oceânicas guardam condições de vida desafiadoras. Apesar disso, há vida no fundo dos oceanos. Exige-se, porém, que os seres vivos e organismos que moram nessas regiões marinhas sobrevivam à escuridão, frio intenso e escassez de comida. 

Portanto, a sobrevivência torna-se algo extremamente desafiador, transformando os animais que vivem nessas condições em seres distintos. 

Entenda como há vida no fundo dos oceanos

Especialmente em profundidades maiores que um quilômetro, os animais tendem a ser esmagados pelas pressões superiores, com casos de números alcançando mais de 100 atm (pressão atmosférica ao nível do mar). 

A ausência de luz solar e as baixas temperaturas — 4 °C abaixo de 200 m — impede que os organismos confiem em suas visões e que seres fotossintetizantes produzam alimento, dificultando a subsistência e favorecendo a baixa densidade populacional em áreas inóspitas.

No entanto, certos tipos de vida são capazes de se adaptar plenamente nesse tipo de condição. 

Para Andrew Gooday, biólogo de águas profundas e membro emérito do Centro Nacional de Oceanografia na Inglaterra, a existência de micro-hábitats, como recifes de corais e vulcões subaquáticos, possibilita não apenas a especialização de certos grupos, mas também a concentração de carbono em sedimentos, com o fitoplâncton sendo essencial para a absorção de CO2 e na regulação climática.

O oceano profundo é, então, um vasto reservatório de biodiversidade, de tubarões brilhantes a caracóis blindados, com novas espécies sendo descobertas a cada ano. 

Saiba, portanto, que o oceano profundo e seus habitantes são imprescindíveis para manter o planeta saudável e nos manter vivos, absorvendo carbono e formando a base das cadeias alimentares que sustentam bilhões de pessoas. 

Gostou do artigo sobre como é possível existir vida no fundo dos oceanos? Então, acompanhe o blog da Máfia do Mergulho para ler mais conteúdo como este. Até a próxima! 

What's your reaction?
0Cool0Bad0Lol0Sad

Leave a comment

Bloomin
Bloomin