Saiba de que maneira a indústria da moda contribui para poluição dos oceanos

Quando falamos em poluição dos oceanos, pensamos em resíduos conhecidos, como plásticos descartáveis, como garrafas de água e afins. Contudo, engana-se quem pensa que somente esse tipo de lixo polui os oceanos. Saiba, então, que a indústria da moda contribui também para a destruição dos oceanos. 

O impacto da moda nos oceanos é real e está presente em nosso dia a dia de diferentes maneiras, em atividades casuais e que, em um primeiro momento, são inofensivas. 

Para termos ideia, da mesma forma que os plásticos descartáveis, os tecidos sintéticos, tais como poliéster e nylon, são capazes de liberar pequenas e minúsculas partículas de plástico a cada lavagem.

Esse tipo de resíduo é conhecido como microp´lástico e causa uma série de danos ao ecossistema dos oceanos.  

Estima-se, inclusive, que o processo de lavagem contribui com 35% do microplástico que chega no mar. Uma vez nas águas do mar, esse tipo de resíduo causa uma série de problemas e reações em cadeia, os quais abordaremos a seguir. 

Afinal, o que é microplástico? 

Antes de mais nada, é importante conhecermos mais sobre o microplástico, que nada mais é que um resíduo extremamente perigoso, principalmente porque não pode ser visto na maioria dos casos, uma vez que seu tamanho não ultrapassa os 5mm.

Entenda a relação entre a indústria da moda e a poluição dos oceanos

Quando chega aos oceanos, o microplástico é capaz de causar diversos problemas, principalmente os relacionados à biodiversidade marinha. 

Animais como plânctons e pequenos peixes acabam ingerindo esse tipo de resíduo. À medida que esses seres vivos são predados, acabam afetando, portanto, ainda mais animais, criando um “bola de neve” problemática. 

Afinal, conforme a cadeia alimentar segue seu ciclo natural, o microplástico ganha mais espaço, até chegar eventualmente em nós, nos seres humanos. 

Quais os impactos do microplástico? 

O microplástico, a princípio, pode ser inofensivo. Contudo, à medida que sua presença torna-se cada vez maior, o problema cresce. 

Quando ingerido por pequenos animais, é possível que eles se engasguem, culminando em sua eventual morte, afetando a biodiversidade local. Contudo, outro grande problema está ligado às consequências de médio/longo prazo causadas pelo microplástico. 

Para termos ideia, os microplásticos podem causar, inclusive nos humanos, diversos tipos de disfunções hormonais, imunológicas, neurológicas e reprodutivas. 

Inclusive, alguns microplásticos possuem bisfenóis, conhecidos disruptores endócrinos muito nocivos à saúde.

Logo, os impactos e consequências do consumo de microplástico entre animais e humanos são enormes e variados, desde problemas no sistema endócrino até cânceres. 

Ainda que existam poucas pesquisas a respeito no mundo, fato é que qualquer corpo estranho absorvido por seres vivos, como o microplástico, pode ser potencialmente fatal. 

Por isso, torna-se extremamente importante evitar que o microplástico seja despejado em quantidades absurdas na natureza sem qualquer medida para evitar essa situação. 

O papel da indústria da moda na preservação dos oceanos

Devido aos impactos causados nos oceanos, muitas empresas estão começando a adotar métodos mais sustentáveis, de modo que seus produtos não afetem a natureza de maneira negativa. 

Além disso, cada vez mais podemos encontrar marcas e profissionais buscando soluções eficientes sobre como tornar a moda mais ética e sustentável. 

No final, o mais importante é encontrar soluções práticas, de maneira a preservar os oceanos, que a cada dia são mais destruídos por atitudes não sustentáveis. 

What's your reaction?
0Cool0Bad0Lol0Sad

Leave a comment

Bloomin
Bloomin