Saiba mais sobre o mercúrio nos oceanos e quais os impactos dele nas ´águas

Que os oceanos são um grande depósito para os mais diversos tipos de resíduos, isso todos sabemos. Contudo, em um estudo recente, foi comprovado que, no fundo das águas do oceano Pacífico, é possível encontrar quantidades alarmantes de um poluente pouco comum: o mercúrio, um metal tóxico.

A pesquisa, liderada por Hamed Sanei, da Universidade de Arhus, na Dinamarca, constatou que o mercúrio encontrado no Oceano Pacífico excede muito as quantidades já detectadas em outros sedimentos marítimos. 

O mais preocupante do estudo feito é que a quantidade de mercúrio encontrada no oceano já supera até mesmo aquelas encontradas em áreas diretamente contaminadas por atividade industrial.

A pesquisa foi publicada na revista científica “Scientific Reports”, sendo elaborada em parceria com cientistas de outros países, como Canadá, Alemanha e Japão. Tal análise é reconhecida como a primeira medição de deposição de mercúrio no oceano. As amostras recolhidas ao longo da pesquisa representam uma profundidade que varia de oito a 10 quilômetros nas águas do Pacífico.

Os impactos do mercúrio nos oceanos

Mercúrio se espalha nos oceanos: entenda os impactos

O mercúrio no meio ambiente, claro, cobra um preço alto. Ou seja, a presença desse tipo de metal tóxico em altos níveis representa o aumento coletivo de emissões antropogênicas – efeitos e processos antropogênicos são aqueles derivados de atividades humanas – de metal em nossos oceanos.

Com relação às consequências do mercúrio na água, podemos listar que esse tipo de metal traz danos ambientais irreversíveis ao solo, à água e à biodiversidade dos oceanos, gerando também efeitos à saúde humana, especialmente ao consumir animais contaminados com mercúrio, como má formação fetal, danos cerebrais, problemas neurológicos e até a morte.

Apesar dos impactos listados, nem tudo está perdido. 

O oceano pode se recuperar naturalmente do excesso de mercúrio

Segundo o pesquisador e líder dos estudos sobre o mercúrio nos oceanos, as fossas oceânicas podem ser uma solução para esse problema, uma vez que atuam como um depósito de lixo permanente. 

Isso porque o mercúrio pode acabar nessas fossas e ficar enterrado por milhões de anos, através do processo em que as placas tectônicas carregam esses sedimentos para as profundezas do manto superior terrestre.

Tal manto terrestre está localizado na camada intermediária da Terra, que fica abaixo da crosta, a camada externa do planeta.

Contudo, apesar de o mercúrio estar sendo removido da biosfera, continua sendo preocupante os níveis de mercúrio que vão parar nas fossas oceânicas, fator este que pode ser um indicador da saúde dos nossos oceanos. 

Os resultados da pesquisa podem ser bastante úteis para entendermos o ciclo do mercúrio nos oceanos. Isto é, qual a taxa de remoção de mercúrio do meio ambiente pelos sedimentos do fundo do oceano.

Gostou do artigo? Então, acompanhe o blog da Máfia do Mergulho para ler mais conteúdo como este. Até a próxima! 

What's your reaction?
0Cool0Bad0Lol0Sad

Leave a comment

Bloomin
Bloomin