O que acontece com os plásticos nos oceanos?

Entenda mais sobre o que acontece com os plásticos nos oceanos e seus impactos

O plástico é, sem dúvida, um dos grande vilões quando falamos da poluição nos oceanos, principalmente porque trata-se de um material capaz de gerar uma série de problemas, impactando todo o ecossistema e sua biodiversidade. Apesar de ter conhecimento a respeito da presença desse material no mar, fato é que muitas pessoas ainda não sabem o que acontece com os plásticos nos oceanos e suas consequências. 

Quais os impactos do plástico no oceano? De que maneira o plástico acaba com a biodiversidade? As consequência da poluição do oceano afetam nós seres humanos? Perguntas como essas são cada vez mais recorrentes e importantes, principalmente quando o objetivo é criar hábitos mais sustentáveis e menos danosos aos oceanos. 

Dada a importância do tema, ao longo deste artigo falaremos mais sobre o que acontece com os plásticos nos oceanos, de modo a criarmos mais conscientização a respeito

De onde vem o plástico dos oceanos?

O que acontece com os plásticos nos oceanos?

Antes de falarmos mais a respeito do que acontece com o plástico nos oceanos, é importante compreender sua origem, antes de mais nada. 

Os plásticos acabam indo para o oceano devido a quatro principais motivos: consumo em excesso desse material, descarte irregular, baixa conscientização e falta de reciclagem.

Esses são os quatro pilares principais para que o plástico tenha como destino os oceanos. Então, tenha sempre em mente que, para diminuir a quantidade de lixo oriundo desse material nos mares, é preciso investir em métodos e hábitos voltados ao combate desses problemas. 

Afinal, o que acontece com os plásticos nos oceanos?

Os plásticos quando chegam nos oceanos desencadeiam uma série de problemas, desde impactos diretos na biodiversidade local, até consequência em nossas vidas no dia a dia. 

O primeiro impacto dos plásticos nos oceanos é a morte da vida marinha, como corais, peixes, tubarões, tartarugas, algas, baleias, aves e muito mais. 

Isso se deve ao fato que o plástico, ao ser ingerido pelos animais, culmina em problemas graves, vão desde a morte até a intoxicação. 

Além disso, os animais que ingerem o plástico, ao serem predados, por exemplo, acabam contaminando ainda mais espécies, gerando um ciclo problemático sem fim. 

Sempre importante ressaltar que o plástico nos oceanos demora cerca de 450 anos para ser decomposto naturalmente. Portanto, qualquer resíduo despejado no mar terá tempo mais que suficiente para destruir boa parte da vida marinha ao seu redor. 

Um dos efeitos dessa longa decomposição é a geração de microplásticos. 

Entenda mais sobre o microplástico

Esse tipo de resíduo surge do processo de decomposição dos plásticos dos oceanos, em forma de pequenas partículas capazes de causar sérios danos à biodiversidade.

Por ter até 5mm, o microplástico pode ser ingerido por animais de todos os tamanhos, desde o plânctons até baleias. O grande problema desse tipo de plástico é que ele não causa danos a curto prazo. 

Porém, ao ser ingerido sistematicamente pelos seres-vivos, causa danos irreparáveis, desde o sistema endócrino até gastrointestinais. 

Pelo fato de causar danos a médio/longo prazo, o microplástico se faz presente em toda a cadeia alimentar dos oceanos, impactando diretamente a vida dos seres humanos, no topo da cadeia alimentar. 

Por fim, para agravar ainda mais a situação, o microplástico tem a capacidade de absorver com facilidade outros tipos de poluentes encontrados no mar, tais como pesticidas, metais pesados, poluentes orgânicos persistentes (POPs) e bisfenóis. 

Naturalmente, fica fácil perceber que os impactos dos plásticos criam um “bola de neve” de problemas, que fica cada vez maior e afeta diretamente a vida nos oceanos e fora deles.

Para saber mais sobre como diminuir os impactos que causamos nos oceanos, confira nosso artigo em que falamos sobre medidas para controlar a poluição nos oceanos. 

Campanha de conscientização da Sea Shepherd Brasil

Plásticos nos oceanos: um problema sem fim

Mesmo sabendo de todos esses problemas, estima-se que entre 4,8 a 12,7 milhões de toneladas de plástico são despejados anualmente nos oceanos, fruto de hábitos não-sustentáveis e da falta de conscientização em todas as camadas da sociedade.

Como consequência, estudos apontam que até 2040 teremos mais plásticos que peixes nos oceanos, resíduo este que representará 100% de emissão de gases de efeito estufa, culminando no derretimento de geleiras, alterações climáticas e baixa qualidade no ar que respiramos. 

Portanto, tendo em mente tudo o que foi dito, fica mais fácil compreender o que acontece com os plásticos nos oceanos, bem como seus impactos no planeta. 

Para ler mais artigos como este, acompanhe o blog da Máfia do Mergulho. Até a próxima! 

What's your reaction?
0Cool0Bad0Lol0Sad

Leave a comment

Bloomin
Bloomin