Oceanos são depósitos de carbono promissores: entenda mais

Relatório divulgado revela a importância dos oceanos como ferramentada para ajudar a controlar os efeitos dos gases estufa, sobretudo o CO2

Os oceanos são extremamente importantes para o planeta. Entre suas principais funções, está o fato de funcionarem como um gigantesco depósito de carbono. Nesse sentido, um relatório recente feito pela Academia Nacional de Ciência, Engenharia e Medicina constatou a importância do investimento em métodos que poderiam ser usados para retirar o dióxido de carbono (CO2) da atmosfera por meio dos próprios oceanos. 

A ideia é que um dos países mais importantes do planeta, os EUA, investisse em métodos como o cultivo de algas marinhas ou a manipulação de nutrientes na água. 

No relatório divulgado, o programa de 125 milhões de dólares teria como foco finalizar algumas pesquisas muito críticas sobre o tema na próxima década, de modo a encontrar uma maneira de ajudar na redução dos gases de efeito estufa da atmosfera. 

Entenda mais sobre o relatório e a importância dos oceanos para ajudar no combate ao aquecimento global

Cientistas e governos de todo o planeta estão em consenso que reduzir as emissões de gases de efeito estufa de atividades como a queima de combustíveis fósseis não bastará para evitar os piores impactos da mudança climática. 

Oceanos são depósitos de carbono promissores: entenda mais
CO2 na atmosfera preocupa cientistas; os oceanos podem ser uma das soluções

Isto é, além de pararmos com a emissão de gases do efeito estufa, precisamos, em contrapartida, remover volumes imensos de carbono da atmosfera. 

Por conta do tamanho e da capacidade de armazenar carbono, os oceanos são a melhor maneira de remover parte do CO2 da atmosfera, por meio de técnicas já disponíveis para acelerar os poderes de absorção de carbono dos oceanos.

O relatório divulgado pede justamente um investimento nessa área, de modo a encontrar uma solução comprovadamente eficaz para esse problema, utilizando os oceanos em prol da limpeza da atmosfera. 

Como dito, entre os métodos mais eficientes estão o cultivo de algas marinhas e a manipulação de nutrientes na água.

As algas marinhas, por exemplo, têm um grande papel no controle dos ambientes oceânicos, já que armazenam mais que o dobro do carbono do CO2 por quilômetro quadrado do que as florestas em terra,  segundo estudo do periódico científico Nature Geoscience, em 2012.

Somente aliando a redução e a remoção de gases estufa da atmosfera poderemos ter um futuro mais otimista, em que o aquecimento global começa a ser mais controlado, entrando em um processo de recessão. 

Oceanos: um verdadeiro aliado do planeta

Os oceanos por si só absorvem quantidade enormes de CO2 da atmosfera. Sem eles, estaríamos já em uma situação crítica e, talvez, irreversível. 

À medida que liberamos cada vez mais CO2 na atmosfera, os oceanos tentam compensar e absorvem quantidades maiores desse gás – mesmo assim, os oceanos não são capazes de reverter o processo de aquecimento global. 

Como resultado, os oceanos começam a aquecer e se acidificar, criando problemas para a biodiversidade marinha e, consequentemente, para todo o planeta. 

Soma-se a tudo isso outros problemas, como a poluição dos oceanos, que está em um processo bastante avançado e problemático. 

Ou seja, para controlar o aquecimento do planeta, precisamos dos oceanos, que em contrapartida são a cada dia mais explorados e poluídos pelos humanos. 

Gostou do artigo? Então, siga acompanhando o blog da Máfia do Mergulho para ler mais conteúdo como este. Até a próxima! 

What's your reaction?
0Cool0Bad0Lol0Sad

Leave a comment

Bloomin
Bloomin