Pesca fantasma e seus impactos na vida marinha

Entenda o que é pesca fantasma e seus impactos na vida marinha

A atividade pesqueira é um hábito que causa inúmeros danos à biodiversidade e aos mais diversos ecossistemas, principalmente quando realizada de forma irresponsável e sem fiscalização. Nos oceanos, porém, um tipo de pesca tem causado impactos enormes ao meio ambiente: a pesca fantasma. 

Conhecida também como ghost fishing em inglês -idioma em que o termo foi criado- a pesca fantasma nada mais é que a pescaria “indireta”

Na pesca tradicional, os animais são retirados do mar, para que possam, assim, ser vendidos e/ou consumidos. Contudo, a pesca fantasma mata os animais marinho sem qualquer finalidade, reflexo de hábitos não sustentáveis e irresponsáveis.

Afinal, o que é pesca fantasma?

A pesca fantasma acontece após o descarte irregular de equipamentos desenvolvidos para capturar animais marinhos, tais como redes de pesca, linhas, anzóis, arrasto, potes, entre outras armadilhas. 

Ao serem abandonados, descartados ou esquecidos nas águas do mar, esses equipamentos acabando matando e ferindo diretamente a vida marinha

pesca fantasma

Os animais (baleias, focas, tartarugas, golfinhos, peixes e crustáceos, por exemplo), quando entram em contato com equipamentos de pesca descartados, acabam ficando feridos, mutilados e, infelizmente, uma grande quantidade morre -na maioria das vezes de forma lenta e extremamente dolorosa. 

Os animais morrem de diferentes maneiras, como por afogamento, estrangulamento, sufocamento e infecções devido às mutilações.

Além disso, muitos ainda morrem após ingerirem esse tipo de lixo de origem pesqueira, causando infecções e lacerações internas. 

De acordo com a World Animal Protection, a pesca fantasma já afetou 45% dos mamíferos marinhos que estão na Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas. 

Além dos danos causados aos animais, a pesca fantasma ainda afeta e degrada recifes de corais superficiais, que já sofrem devido à poluição nos mares. 

Impactos da pesca fantasma

A cada ano, estima-se que o volume dos materiais de pesca nos oceanos vai de 640.000 a 800.000 toneladas de novos equipamentos fantasmas. 

Somente no Brasil, milhares de animais são resgatados em péssimas condições, à medida que outros milhares morrem tentando sobreviver aos impactos desse tipo de pesca indireta, chegando a cerca de 69.000 animais marinhos afetados por dia.

Essa quantidade anual despejada nos mares mata, portanto, sistematicamente a vida marinha. inclusive, ao longo dos anos, a tendência é que o reflexo seja ainda maior. 

Não à toa, pesquisadores estimam que até 2050 teremos mais lixo que peixes nos oceanos, representando, assim, a morte lenta de um dos maiores e mais importantes ecossistemas do planeta: os oceanos. 

Como evitar e combater a pesca fantasma?

Uma ótima opção é cobrar das empresas que atuam com pesca mais responsabilidade socioambiental, de modo que diminuam ou cessem o despejo de lixo nas águas dos oceanos. 

Além disso, é possível ajudar instituições e ONG’s que lutam pela vida marinha, auxiliando financeiramente ou com uma simples divulgação, de maneira a incentivar o trabalho feito em prol da vida marinha e toda sua biodiversidade. 

Por fim, mudar alguns hábitos pode ser fundamental, como a diminuir o consumo de pescados e frutos do mar, principalmente os de origem de grandes empresas. 

Gostou do artigo? Então, acompanhe nosso blog para mais conteúdo como este. Até a próxima! 

What's your reaction?
0Cool0Bad0Lol0Sad

Leave a comment

Bloomin
Bloomin