Saiba também como pequenos afluentes podem ser mais decisivos na contaminação dos oceanos que os grandes rios

Uma coisa é certa: os plásticos estão acabando com o oceano, poluindo-o sistematicamente há anos, comprometendo toda a biodiversidade marinha. Apesar de ser de conhecimento geral esse problema, há ainda uma grande dúvida que persiste nas pessoas em relação à maneira como esse tipo de resíduo chega às águas marinhas. A resposta está nos rios. 

Em 2017, cientistas concluíram que 90% do plástico que chega aos oceanos são oriundos de 10 a 20 rios, sobretudo os maiores cursos d’água, como o Nilo, Amazonas e Yangtzé, os três maiores do mundo. 

Contudo, um recente estudo publicado na revista científica Science Advances mudou esse panorama por completo. Isso porque cientistas constataram que 80% dos resíduos plásticos são distribuídos não por 10 a 20 rios, mas, sim, por mais de mil rios. 

A descoberta ainda relatou que a maior parte dos resíduos plásticos é transportada por pequenos afluentes que circulam por áreas urbanas com grande densidade demográfica, não grandes rios.

Descubra por que os afluentes podem poluir mais que os grande rios

Como dito anteriormente, os afluentes de regiões com alta densidade demográfica são mais perigosos aos oceanos que os grandes rios. 

Plásticos chegam aos oceanos por mais de mil rios: entenda mais

Prova disso é o rio Yangtzé, que percorre cerca de 6,3 mil quilômetros pela China até desaguar no mar da China Oriental. 

Antes, o rio Yangtzé havia sido classificado como o mais poluído por plásticos, contudo, foi ultrapassado pelo rio Pasig, de somente 25 quilômetros de extensão, localizado nas Filipinas, em Manila, cidade com 14 milhões de habitantes.

Ou seja, um rio muito menor é capaz de poluir mais os oceanos que um dos maiores rios do mundo. 

Por esse motivo, o segundo estudo, em que foi constatado que os rios menores são os que mais levam plástico até os oceanos, está bastante alinhado com a realidade. 

Conclusão dos estudos

A pesquisa tem como foco destacar a propagação dos resíduos plásticos por todo o planeta, de modo a evidenciar a necessidade de encontrarmos soluções mais eficientes e imediatas para preservar não apenas os oceanos -o destino do lixo plástico-, mas também os rios poluídos, que são os responsáveis pela quantidade de resíduo que chega ao mar.

Por fim, o estudo tem como foco também reforçar o que cientistas marinhos falam há anos e, quiçá, décadas: a solução para proteger os oceanos e os sistemas de água doce é diminuir os resíduos plásticos. 

Um planeta que gera menos plásticos, consequentemente é um planeta mais saudável e habitável. 

Gostou do artigo? Então, acompanhe o blog da Máfia do Mergulho para ler mais conteúdo como este. Até a próxima! 

What's your reaction?
0Cool0Bad0Lol0Sad

Leave a comment

Bloomin
Bloomin