Proteção de 30% do alto-mar fracassa na ONU; entenda os impactos

Os países membros da ONU não conseguiram chegar a um acordo no que se refere ao tratado para proteger os oceanos da exploração. Especialistas no tema, como cientistas, ambientalistas e organizações de conservação, culparam os países indiferentes à causa pelo fracasso das tratativas. 

Com isso, pode-se afirmar que a exploração dos oceanos, a pesca industrial (muitas vezes ilegal) ganharam a batalha, mas a guerra pela preservação do alto-mar está longe do fim.

Entenda mais sobre o tema

Existem algumas regiões do planeta, sobretudo nos oceanos, cujo território não tem dono. Ou seja, estamos falando de um espaço considerado, no direito internacional, ‘res communis usus’, que em tradução livre significa ‘área de uso comum a todos’. 

Em outras palavras, essas regiões podem ser livremente utilizadas. Estima-se, inclusive,  que esse território contemple 60% dos 364 milhões de Km2 de oceanos globais. 

A ideia da ONU era justamente proteger boa parte dessas áreas, de modo a garantir que 30% dos oceanos estivessem sob proteção ambiental, assegurando que as espécies prosperassem nesses locais, permitindo a recuperação do maior ecossistema do planeta. 

Contudo, com o fim do plano de preservar 30% do alto-mar, seguiremos acompanhando a exploração sistemática dos oceanos e sua biodiversidade, sem qualquer fiscalização ou controle. 

E como isso impacta os oceanos?

Como dito, a ideia de proteger 30% dos oceanos, criando zonas seguras, era permitir a recuperação da biodiversidade, de modo que se estabelecesse e prosperasse, sem os perigos da pesca industrial. 

Proteção de 30% do alto-mar fracassa na ONU; entenda os impactos

O foco era, portanto, proteger especialmente o alto-mar, que é, historicamente, uma dor de cabeça para as pessoas que gerenciam a pesca. Afinal, a biomassa presente é de recursos comuns, acessíveis por qualquer pessoa e não sujeitos aos mesmos controles que se aplicam à pesca nas águas nacionais. 

Com o fim do acordo que protegeria os oceanos, a vida marinha está sob risco, inclusive ameaçando inúmeras espécies que correm risco de extinção à medida que a pesca industrial segue a todo vapor e sem qualquer controle. 

Consequentemente, se não pararmos a exploração dos oceanos, os peixes e outras espécies vão começar a desaparecer e, com isso, os oceanos começarão a ficar vazios e sem vida. 

Lembre-se: um oceano vazio e sem vida significa um planeta sem vida. Portanto, preservar o alto-mar significa preservar o futuro. 

Gostou do artigo, então, acompanhe o blog da Máfia do Mergulho para ler mais conteúdo como este. Até a próxima! 

What's your reaction?
0Cool0Bad0Lol0Sad

Leave a comment

Bloomin
Bloomin